quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Grandpa Elliott: músico de rua de New Orleans estréia em CD aos 64 anos


 





Quem ouve o CD do veterano cantor e gaitista Grandpa Elliott sem conhecer sua história, jamais vai imaginar que ele cantou durante quase seis décadas em troca de gorjetas, na área turística do French Quarter, em New Orleans, no sul dos Estados Unidos. Em 2009, ao aparecer em um vídeo da canção “Stand by Me”, que o projeto Playing for Change transformou em hit mundial com o auxílio da internet, esse artista de rua teve enfim a chance de entrar num estúdio e gravar seu primeiro álbum ("Sugar Sweet", lançamento Universal), ao lado de músicos de várias nacionalidades. E depois ainda saiu fazendo shows pelo país.

A gaita blueseira de Elliott se destaca em várias faixas do álbum, como no clássico “Baby, What You Want Me to Do” e na dançante gravação ao vivo de “Fannie Mae”. Mas o que mais chama atenção é mesmo o vozeirão encorpado e expressivo de Grandpa, seja na saborosa releitura do blues “Ain’t Nothing You Can Do”, temperada pelas guitarras dos africanos Jason Tamba e Louis Mhlanga, ou no tratamento soul que empresta à emotiva “Please, Come Home for Christmas”. Uma história perfeita para ilustrar o ditado "jamais desista do seu sonho".


http://www.carloscalado.com.br/2010/04/grandpa-elliot-musico-de-rua-de-new.html

terça-feira, 30 de agosto de 2011

+ 1 VITIMA DE SUICIDIO NO CFCH



‎+ 1 VITIMA DE SUICIDIO NO CFCH 
29/08/11-18:00


PESSOAL EU PENSO Q ALGUMA CAMPANHA DEVE SER FEITA...
UMA CAMPANHA DE LUTO OU DE SILENCIO OU DE IDGNAÇAO...
NA MIDIA NAO SE FALA.. NAO SEI SE É P/ PRESEVAR A INSTITUIÇAO OU SE É P/ NAO TRANSFORMAR O PREDIO FAMOSO EM 1 CENTRO DE ROMARIA P/ OS SUICIDAS ETC.
+ EU PESSOALMENTE SOU A FAVOR DA DERRUBADA DESTE PREDIO E Q COM ELE SE DERRUBE TODOS OS SIGNOS, MITOS E SIMBOLISMO Q O MESMO REPRESENTA...
HA VARIAS INTERPLETAÇOES SOBRE ISSO E SOBRE ESSES ACONTECIMENTOS... DEIXO UMA P/ A VOSSAS REFLEXOES...

O CFCH é um monumento à preservação da memória da ditadura militar brasileira. os resquícios, mais do que simples emblemas semióticos, refletem ainda aquelas pretensões iniciais: a compartimentação fragmentária das Ciências Humanas e, principalmente, de seus agentes interdisciplinares.

Contenção de motins, de revoltas e de revoluções ou de qualquer tipo de conluio. Estes eram (são?) outros objetivos daquela arquitetura bisonha. Atualmente isso não faz mais sentido, porque a Universidade inteira passa por uma era de apatia sem fim: durante o mais longo período democrático que vivemos, a UFPE se posiciona boiando sem nenhuma inserção e integração social.

Essas coisas deveriam ser motivo de reflexão em sala de aula, bares, blogs e casas.http://acertodecontas.blog.br/educacao/cfch-um-monumento-a-ditadura-e-a-sociedade-fragmentaria/

SEM + POR ENQUANTO. Célio limA.



http://sejogabrasil.wordpress.com/2008/01/07/mataram-zoltan-venekey/

http://desciclopedia.ws/wiki/Centro_de_Filosofia_e_Ci%C3%AAncias_Humanas_da_Universidade_Federal_de_Pernambuco

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Marcelo Nova Por ... Eric Burdon


Marcelo Nova Por ... Eric Burdon -
Versões em Inglês e Português

I went to Brazil in 1996 with the hope of adopting someone or something that would help me fulfill the dream... wondering how rock ' n ' roll or blues would be accepted in the land of Afro Latin souls.
São Paulo has a big city to beat of its own. The traffic seems non-stop... through the congested streets. Then when night falls you get another world...comes alive ... in the restaurants and nightclubs... Out of the shadows came Marcelo Nova... a Rock and roll poet.
We did what Brazilians do best, revel in food and wine and discussion of the opposite sex and we traded in stories of our first love: music, Rock ' n ' Roll music.
Over lunch we'd decided to work together on some ideas musically for the future long distance between Brazil and California we'd use the fax machine to run ideas to each other. Then Marcelo suggested we meet a place we would choose... how about New York City?... (I'd invited him to L. A.) But, New York was a better choice.
We met there in the winter of 1997, walked the streets, talked of music, bought some records... Marcelo comes alive and very animated in record stores like a kid in a candy store... We exchanged some writings... We were ready to make some recordings. We needed a studio. None could be found in New York - everything was booked out. However I made calls to friend, Phil Metzger. He found us the rehearsal hall in Long Island and some enthused local musicians. We cut rough tracks for four new songs... MOTORCYCLE GIRL, I’V SEEN THE FUTURE, MY SATANIC HEART AND WINTER WOMAN... So here was the beginning of my new CD in the work in the most unlikely of places, Long Island, New York, in the studio with a Brazilian collaborating on a dream.
Our collective time together has been only a few hours, but the work we have done together, long distance over the phone and fax, will, I hope, keep many people entertained for many years into the future.
But most of all I have to say I've found a new friend, a long lost brother from Brazil: Marcelo Nova, a Rock 'n' Roll disciple.
I never had a brother, maybe that's what was missing in my early life. And what pushed me towards self-centeredness. Meeting a stranger in a strange land, Marcelo in Brazil altered all that. His talent in the studio where he kicked everyone's ass, using all the weapons at his disposal including bribery of the studio owner, to finish a recording session, plus his natural intelligent approach to writing... in English, not his native language. A caring father... respectable husband... a maniac... Marcelo Nova.


Eu fui para o Brasil em 1996 com a esperança de encontrar alguém ou algo que me ajudasse a realizar um sonho... Desejando saber como o rock 'n ' roll ou o blues seriam aceitos na terra de almas afro latinas.São Paulo é uma cidade grande com seu próprio ritmo. O tráfego parece ininterrupto pelas ruas congestionadas. Então, quando a noite cai, você entra em outro mundo que surge vivo... nos restaurantes e boates... Saindo das sombras veio Marcelo Nova... um poeta do Rock’n’Roll. Nós fizemos o que os brasileiros fazem de melhor, comemos, bebemos e discutimos o sexo oposto.E compartilhamos histórias do nosso primeiro amor: O Rock ' n ' Roll.
Durante o jantar nós decidimos trabalhar juntos em algumas idéias para o futuro e como há uma longa distância entre o Brasil e a Califórnia nós usaríamos o fax para passar idéias um para o outro. Então, Marcelo sugeriu que deveríamos escolher um lugar para nos encontrar. Que tal Nova Iorque?... (Eu tinha sugerido Los Angeles) Mas Nova Iorque foi uma melhor escolha.
Nós nos encontramos lá no inverno de 1997, caminhamos pelas ruas, conversamos sobre música, compramos alguns discos... Marcelo ficava excitado em lojas de discos como uma criança em uma doceria.... Trocamos alguns escritos ... e estávamos prontos para fazer algumas gravações. Nós precisávamos de um estúdio. Nenhum foi encontrado em Nova Iorque todos estavam reservados. Contudo, eu fiz algumas ligações a um amigo, Phil Metzger que conseguiu um estúdio de ensaios em Long Island com músicos locais bastante entusiasmados. Nós gravamos quatro canções ... "Garota da motorcicleta", "Eu Vi o Futuro", "Coração Satânico" e "Mulher do Inverno"... Assim o meu novo CD começava a ser trabalhado no mais improvável dos lugares, Long Island, Nova Iorque, em um estúdio com um brasileiro colaborando com o meu sonho. Nosso tempo juntos no estúdio foi de apenas algumas horas, mas o trabalho que fizemos, irá manter, assim espero, as pessoas ligadas por muitos anos no futuro. Mas acima de tudo eu devo dizer que encontrei um novo amigo, um irmão perdido a muito tempo no Brasil: Marcelo Nova.
Eu nunca tive um irmão, talvez isso tenha sido o que faltou no início da minha vida e que me tornou uma pessoa auto centrada. Conhecer Marcelo no Brasil, um estranho em uma terra estranha, alterou tudo isso. O seu talento no estúdio, onde ele dava bronca em todo mundo usando as armas que tinha ao seu dispor, inclusive subornando o dono do estúdio para terminar a sessão de gravação. Isso somado a sua inteligência e a sua naturalidade para compor em inglês..., que não é a sua língua nativa. Um pai atencioso... marido respeitável... um maníaco... Marcelo Nova.




segunda-feira, 22 de agosto de 2011

22 sem o Raul...

Audaciosa crítica de Raul Seixas à submissão da elite brasileira

Considerado um dos pioneiros do rock brasileiro, o baiano Raúl Seixas passou maus bocados por sua arte contestadora e, por vezes, um tanto mística. Coisas de artista. Neste domingo (21), completam-se 22 anos de sua morte, mas sua legião de fãs não para de crescer.

Por Marcos Aurélio Ruy
http://www.vermelho.org.br/es/noticia.php?id_secao=11&id_noticia=161872








Com mais de 20 anos de carreira, chamado por muitos de o “pai do rock brasileiro”, Raul Seixas emplacou inúmeros sucessos na música popular brasileira ao misturar baião - inspirado principalmente em Luiz Gonzaga- e rock, sob inspiração dos anos 1950, principalmente por Little Richard, o som meio anárquico de Frank Zappa e a revolução chamada Beatles, essencialmente John Lennon. Foi muito influenciado ainda pelo místico inglês Aleister Crowley, que pregava “faze o que tu queres, há de ser tudo da lei”.

Nessa miscelânea de sons e temas, Raul lança seu primeiro disco, Raulzito e Os Panteras, em 1968, não emplaca nas paradas, mas já mostra sua cara irreverente e tenaz na crítica ao sistema. Ao aproximar-se da Jovem Guarda, participa de um disco intitulado “Vida e Obra de Johnny McCartney”, com Leno, da dupla Leno e Lilian, que tem as letras censuradas e o disco acabou por não ser lançado.

Distancia-se da Jovem Guarda com sua arte contestadora, de forte apelo social e crítico à ditadura e ao capitalismo. Sofre forte censura do regime militar de 1964, cria a Sociedade Alternativa, com música homônima, e os militares pensam tratar-se de grupo guerrilheiro. É preso, torturado e obrigado a sair do país, juntamente com o atual escritor místico Paulo Coelho, seu parceiro em inúmeras canções.

Raul Seixas critica com veemência a escola e diz em entrevista “nunca aprendi nada na escola. Minto. Aprendi a odiá-la” e complementa com a afirmação de que “tudo o que aprendi era nos livros, em casa ou na rua.” Isso numa época em que até a escola estava sob o crivo da ditadura.

Em 1971 lança, sem autorização da gravadora, o disco “Sociedade Grã-Ordem Apresenta Sessão das Dez”. O disco some misteriosamente do mercado e Raul é expulso da multinacional CBS. No ano de 1982, ao aparecer embriagado e sem documentos para um show em Caieiras (SP), é confundido e torna-se “impostor de si mesmo”, quase é linchado pelo público, preso e espancado pelos policiais.

Esse ar de irreverência esteve presente em toda a sua obra. Com críticas mordazes à falta de liberdade e ao status quo. Na canção “Como Vovó Dizia” ele afirma: “quem não tem colírio usa óculos escuros, quem não tem filé como pão e osso duro, quem não tem visão bate a cara contra o muro.” Precisa ser mais claro? Também em “Ouro de Tolo” fala da tentativa de “pão e circo”, uma tese propalada pela burguesia para conformar o povo sem contestação.

Também esteve nas paradas canções com “Tente Outra Vez”, “O Dia em que a Terra Parou”, “Mosca na Sopa”, “Metamorfose Ambulante”, “Gita”, “Al Capone”, Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás”, “Sapato 36”, forte crítica ao patriarcalismo, e "Aluga-se”, na qual propõe alugar o Brasil para resolver os dilemas do país, cruciais ao povo brasileiro sob o obscurantismo fascista. Um dos seus maiores sucessos, porém, é “Maluco Beleza”, verdadeiro hino dos hippies brasileiros dos anos 1970.



Lança o disco “A Panela do Diabo”, em 19 de agosto de 1989, dois dias antes de sua morte, juntamente com o discípulo Marcelo Nova. Raul é encontrado morto em seu apartamento em São Paulo aos 44 anos.

Sucumbiu às drogas, ao alcoolismo e à diabetes. Tem sua arte, no entanto, viva na memória de uma enorme legião de fãs de todas as faixas etárias e sua contestação tornou Raul Seixas sem similar e sem substituto. Apresenta uma visão audaciosa dos costumes e da submissão da elite brasileira aos ditames imperialistas.

Veja abaixo alguns vídeos com suas músicas:




Como Vovó Dizia (com Paulo Coelho, 1974)

-Como vovó já dizia
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
(Mas não é bem verdade!)
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
Hum!...
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
Minha vó já me dizia
Prá eu sair sem me molhar
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
Mas a chuva é minha amiga
E eu não vou me resfriar
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
A serpente está na terra
O programa está no ar
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
A formiga só trabalha
Porque não sabe cantar...
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
Quem não tem filé
Come pão e osso duro
Quem não tem visão
Bate a cara contra o muro
Uuuuuuuh!...
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
É tanta coisa no menu
Que eu não sei o que comer
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
José Newton já dizia:
"Se subiu tem que descer"
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
Só com a praia bem deserta
É que o sol pode nascer
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
A banana é vitamina
Que engorda e faz crescer...
Quem não tem colírio
Usa óculos escuro
Quem não tem filé
Come pão e osso duro
Quem não tem visão
Bate a cara contra o muro...





Ouro de Tolo (1973)

Eu devia estar contente
Porque eu tenho um emprego
Sou um dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros
Por mês...
Eu devia agradecer ao Senhor
Por ter tido sucesso
Na vida como artista
Eu devia estar feliz
Porque consegui comprar
Um Corcel 73...
Eu devia estar alegre
E satisfeito
Por morar em Ipanema
Depois de ter passado
Fome por dois anos
Aqui na Cidade Maravilhosa...
Ah!
Eu devia estar sorrindo
E orgulhoso
Por ter finalmente vencido na vida
Mas eu acho isso uma grande piada
E um tanto quanto perigosa...
Eu devia estar contente
Por ter conseguido
Tudo o que eu quis
Mas confesso abestalhado
Que eu estou decepcionado...
Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto "e daí?"
Eu tenho uma porção
De coisas grandes prá conquistar
E eu não posso ficar aí parado...
Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o domingo
Prá ir com a família
No Jardim Zoológico
Dar pipoca aos macacos...
Ah!
Mas que sujeito chato sou eu
Que não acha nada engraçado
Macaco, praia, carro
Jornal, tobogã
Eu acho tudo isso um saco...
É você olhar no espelho
Se sentir
Um grandessíssimo idiota
Saber que é humano
Ridículo, limitado
Que só usa dez por cento
De sua cabeça animal...
E você ainda acredita
Que é um doutor
Padre ou policial
Que está contribuindo
Com sua parte
Para o nosso belo
Quadro social...
Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar...
Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador...
Ah!
Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dentes
Esperando a morte chegar...
Porque longe das cercas
Embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo
Do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
De um disco voador...




Maluco Beleza (com Cláudio Roberto, 1972)

Enquanto você
Se esforça pra ser
Um sujeito normal
E fazer tudo igual...
Eu do meu lado
Aprendendo a ser louco
Maluco total
Na loucura real...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez...
Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza...
E esse caminho
Que eu mesmo escolhi
É tão fácil seguir
Por não ter onde ir...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Eeeeeeeeuu!...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com toda certeza
Maluco, maluco beleza...



http://www.vermelho.org.br/es/noticia.php?id_secao=11&id_noticia=161872

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

16 de agosto de 2011, Marcelo Nova completa 60 anos.

FELIZ ANIVERSÁRIO


Hoje, 16 de agosto de 2011, Marcelo Nova completa 60 anos.




Ao longo da sua vida conquistou o sucesso, mas muito mais do que isso, conquistou o respeito, e é reverenciado como o maior nome do rock brasileiro. Mas como a vida é composta de várias faces, vamos lembrar também do seu lado pessoal. Casado há vários anos com a mesma mulher, pai de 2 filhas com profissões definidas e bem sucedidas, pai de um filho que cursa uma das mais importantes faculdades do país, muito educado, e um jovem guitarrista, mas com uma enorme experiência, o que o credencia para se tornar uma referência em seu instrumento.

Sendo assim, devo lembrar minha mãezinha, dos tempos em que me dizia que ficar ouvindo esse cara "boca suja" não me levaria à lugar nenhum. Mamãe, a senhora estava errada. Charles Darwin é quem estava certo, o fenômeno da seleção natural deixou Marcelo Nova vivo, se reproduzindo e devorando as presas fracas que se encontram à sua volta. E que apetite...

Sua nova obra, Hoje no Bolshoi, um registro ao vivo em 3 formatos (cd duplo/dvd/blu-ray), mostra Marceleza com o mesmo vigor, a mesma virulência, dos primeiros shows, mas temperada e comandada com a classe refinada por seu galope do tempo de mais de 30 anos de experiência. O equilíbrio perfeito entre esses 2 mundos. E com essa bagagem, poucos conseguiram lançar um trabalho de tanta qualidade. Não estamos falando aqui de sobreviver, simplesmente, estamos falando em comandar a matilha. À essa altura, a única banda que ele pudesse integrar, além da sua banda solo, talvez fossem os Travelling Wilburys...



Esse lobo cinzento já declarou que tem um álbum de canções inéditas composto, cuja coragem adiou a finalização do trabalho, para que o foco recaia sobre Hoje no Bolshoi. Ou seja, ainda teremos mais algumas décadas de trilha sonora garantida. Sorte nossa. E com a chegada de Drake ao seu lado, tudo indica que não seram poucas.

Feliz aniversário, rei do rock. Ém um alento comemorar cada ano da sua existência.



Escrito por Xande Campos Capitão às 08h27
[(6) Vários Comentários] [envie esta mensagem] [link]

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

((ROÇAR DE CORPOS.............))
Postado por Sedutora AnNe


E É NO ROÇAR DOS NOSSOS CORPOS
QUE EU LHE SINTO
LHE PERCEBO
LHE TOCO
ACARICIO
DEGUSTO
ENLOUQUEÇO
DESFALEÇO
ESTREMEÇO
ME LAMBUZO
GOZO

((NOVIÇA FADA))



1 comentários
Links para esta postagem
Enviar por e-mail
BlogThis!
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no orkut
Compartilhar no Google Buzz

SEXTA-FEIRA, 12 DE AGOSTO DE 2011

Grande movimento...
Postado por aldrey

A noite chegou de mansinho,e eu ali esperando....Já era noite e todas irmãs já em seus aposentos,e o sono não vinha,andava de um lado para outro,resolvi deitar,estava incendiando por dentro...E nada dele se aproximar...

Ele chegou me provocando,com seu jeito safado e me levando a loucura...

Resolvi deixa-lo louco também...

Ele não pensou 2 vezes ,me pegou por trás,e me fez sentir todo seu pau....

E naquele vai e vem...Aparece sem ser convida uma irmã do convento...

fizemos a festa...

Depois de tanto movimento um banho pra refrescar...

Agora me desculpe já estou indo ...








sábado, 6 de agosto de 2011

MARCELO NOVA HOJE NO BOLSHOI

EM PRIMEIRA MÃO




Até o final do mês nas lojas, Hoje no Bolshoi é o registo ao vivo que marca os 30 anos de carreira de Marcelo Nova e seus 60 anos de idade.

O material estará disponível em 3 formatos, dvd, blue ray e cd duplo. Assim como o Duplo Sentido foi o primeiro álbum duplo em grande estilo do rock brasileiro, e Balckout foi o primeiro disco 100% acústico do país, antes mesmo da invasão dos unpluggeds, Hoje no Bolshoi é o primeiro blue ray do rock brasileiro. Assim como Viva foi gravado em Santos, fora das capitais badaladas do país, Hoje no Bolshoi traz um registro feito numa grande casa de shows de Goiania, repetindo a ousadia geográfica, e também vem com músicas inéditas, como o próprio Viva também trazia.

Temos tudo que se pode esperar do maior nome do rock brasileiro. Mas como Marceleza não é homem de se fazer somente o que se espera dele, não é só isso, tem muito mais.

Confira a capa do dvd, em primeiríssima mão.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Amy Winehouse é mais uma artista que morre aos 27 anos



Posted: 23 23UTC julho 23UTC 2011 by Sylvio Passos in Filmes, Livros, Música, Music
0
6 Votes
23/07/2011 – 15h06
Amy Winehouse é mais uma artista que morre aos 27 anos

COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Ao morrer neste sábado, com 27 anos, a cantora Amy Winehouse se junta ao grupo de artistas famosos que também morreram com essa mesma idade.

Autópsia de Amy Winehouse será realizada neste domingo
Ivan Finotti: Na caça de Amy Winehouse em Londres
Amy pode ter inéditas; ouça última música pela cantora

Outra coincidência é que, assim como Amy, grande parte deles foram encontrados mortos sozinhos em casa ou em quartos de hotéis. Veja alguns deles:

Jim Morrisson (8/12/1943 – 3/7/1971)

O ex-vocalista da banda de rock The Doors, Jim Morrisson, foi encontrado morto na banheira de um apartamento em Paris. Especula-se que a causa da morte tenha sido por overdose de heroína.

Janis Joplin (19/1/1943 – 4/10/1970)

Outra que também morreu sozinha, Joplin foi encontrada em um quarto de hotel. Ela teria tomado vários drinques e fez uso de heroína 50% pura, o que causou uma overdose.

Jimi Hendrix (27/11/1942 – 18/9/1970)

Um dos maiores guitarristas da história do rock, Jimi Hendrix morreu em Londres depois de inserir cápsulas com anfetaminas e sedativos. Hendrix também teria usado LSD em pó e durante o sono, morreu sufocado no próprio vômito.

Kurt Cobain (20/2/1967 – 5/4/1994)

O ex- vocalista e guitarrista da banda Nirvana, foi encontrado morto em sua casa com um tiro na cabeça. Ele teria se suicidado após consumir uma grande quantidade de heroína.

Brian Jones (28/2/1942 – 3/7/1969)

Membro-fundador da banda The Rolling Stones, Brian foi encontrado morto boiando na piscina em uma mansão de Londres. Ele teria tido uma overdose seguida de afogamento.

Robert Johnson (8/5/1911 – 16/8/1938)

O guitarrista norte-americano de blues morreu vítima de pneumonia. Há versões de que ele contraiu a doença após beber um whisky envenenado com estricnina, preparado pelo dono do bar, com cuja mulher Johnson teria flertado.


A cantora Janis Joplin; o norte Jimi Hendrix; Jim Morrison, da banda The Doors; e Kurt Cobain, do Nirvana
IN: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/948844-amy-winehouse-e-mais-uma-artista-que-morre-aos-27-anos.shtml
Para você que buscou ou navegou por álbuns da Amy Winehouse, o Submarino faz uma homenagem a um dos maiores ícones da música internacional. Confira e relembre os seus principais sucessos.

Amy Jade Winehouse era compositora de soul, jazz e R&B do Reino Unido. Cresceu em Southgate, onde fez os estudos na Ashmole School.
Seu primeiro álbum, Frank, lançado em 2003 pela Island Records, foi muito bem recebido, comercial e criticamente, e o segundo, de 2006, Back to Black, deu a ela seis indicações ao Grammy Awards, das quais venceu cinco.

http://www.submarino.com.br/portal/DVDs-sl/?listid=sl06amywinehouse&menuId=741&franq=129660

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

E DAÍ?

Eu Não Tenho Nada Com Isso, Só Estou Falando Zé Geraldo


Eu estou sentado na porta do edifício
Atento olhando o rosto de cada cidadão
Mas que coisa engraçada
Eles parecem ter estampado no rosto um cifrão

Eu estou sentado na porta do edifício
E como é difícil a gente poder entender
Que cada um daqueles que passam
Se consomem e se arrebentam
Sem saber
Mas e daí?

Mas mudando de conversa
Do concreto pro guaicambu
Você já sentiu de perto a peleja de um cafuçu?

É aquele que na hora do amor
Não faz um cafuné
Pois a mão calejada pode arranhar a mulher
E que ao invés da gravata
o suor lhe estampa o rosto
pra o que der e vier

Mas e daí?
Se eu não tenho nada com isso
Cada um sabe o que fazer

Mas o destino deve estar de acordo com isso tudo
O dinheiro, o carro, a sociedade te põe cego e surdo
Mas não fique aborrecido
porque você não é o único tarado nesse engraçado mundo

E eu continuo sentado na porta do edifício
Entendendo agora porque este mundo é um lixo
E com vontade de mandar todo mundo praquele lugar
mas ela diz que eu ainda não posso falar

E daí?
Se eu não tenho nada com isso
Cada um sabe o que fazer

Mas salve você
Moço americano
Americano do hemisfério sul
Moço americano
Ouro verde sobre o azul
Moço americano
Americano do sertão
Moço meu sustento
Monumento de um chapadão

E daí?
Se eu não tenho nada com isso
Cada um sabe o que fazer
E daí?

http://www.vagalume.com.br/ze-geraldo/eu-nao-tenho-nada-com-isso-so-estou-falando.html#ixzz1O1p2JVOR




Nenhum comentário: