segunda-feira, 28 de março de 2011

"LULA CÔRTES" ,1950-2011.


Despedida


Lula Côrtes, um homem de múltiplas habilidades



Publicado em 26.03.2011, às 16h21

Do NE10 Com informações de José Teles, do Jornal do Commercio
Lula Côrtes coleciona várias habilidades. Cantor, compositor, artista plástico. Casado com a cineasta Kátia Mesel, foi líder não oficial de um movimento cultural alternativo no Recife, nos anos 70. Agitador cultural, não conseguiu vencer a luta contra um câncer, que insistia em derrubá-lo há mais de dez anos. Na madrugada deste sábado (26), não resistiu mais.

» Morre o músico pernambucano Lula Côrtes

A doença, no entanto, não o afastou dos palcos. Sua última apresentação aconteceu na semana passada, em São Paulo. Ele e Zé da Flauta foram convidados para tocar com Alceu Valença na recriação do antológico show Vivo.
Lula Côrtes fez história com Satwa, considerado o primeiro disco independente da moderna música brasileira, e com o lendário álbum duplo Paêbirú – o caminho da montanha do sol, em parceria com Zé Ramalho. Foi grande incentivador do Abril Pro Rock.
Atualmente, também atuava como assessor da Secretaria de Cultura de Jaboatão dos Guararapes.
Neste vídeo exclusivo, ele conversa sobre a doença com Júlio Neto e Ricardo Almoêdo, durante entrevista para o documentário Abril Pro Rock Fora do Eixo, em 2008.

http://ne10.uol.com.br/canal/cultura/noticia/2011/03/26/lula-cortes-um-homem-de-multiplas-habilidades-263179.php

 
Luiz Augusto Martins Côrtes - Pioneiro na mistura de rock com ritmo nordestino
(MATHEUS MAGENTA)


O artista pernambucano Luiz Augusto Martins Côrtes, conhecido como Lula Côrtes, 61, morreu na madrugada deste sábado no hospital Barão de Lucena, em Recife. O artista, que tinha câncer na garganta, foi um dos pioneiros na mistura do rock com ritmos nordestinos.
Côrtes foi cantor, compositor, artista plástico e escritor. Uma das obras mais famosas do artista é o disco "Paêbirú", gravado na década de 1970 com Zé Ramalho.
O disco, considerado um dos principais expoentes da psicodelia nordestina, sofreu influências de canções indígenas, timbres orientais e de bandas como Pink Floyd.
Em 1975, uma enchente que atingiu Recife destruiu quase todas as cópias do vinil na gravadora Rozenblit --exceto 300 que estavam na casa de Côrtes. O disco se tornou raridade e é um dos mais caros em sebos do país.
A obra nunca foi relançada em CD no Brasil, como pretendia Côrtes.
Em entrevista à Folha em 2006, ele afirmou que "a única coisa chata é que ele é um dos discos mais raros e caros do mundo, mas não recebo um centavo por isso".
As histórias sobre "Paêbirú" e a cena musical da época serão contadas em um documentário feito por Cristiano Bastos e Leonardo Bomfim. "Nas Paredes da Pedra Encantada", dá nome ao filme.
O corpo de Côrtes foi velado no sábado na Câmara de Jaboatão dos Guararapes (região metropolitana de Recife), onde ele trabalhava como assessor especial da prefeitura na área de cultura.
O enterro ocorreu anteontem, no cemitério da Muribeca, também em Jaboatão.

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/894744-luiz-augusto-martins-cortes---pioneiro-na-mistura-de-rock-com-ritmo-nordestino.shtml

2 comentários:

  1. Grande homem! Lamentável a sua ida. Mas como todo bom artista, eterno será!

    ResponderExcluir
  2. Foi pintar as nuvens e tocar harpa nos ares...

    ResponderExcluir